quarta-feira, abril 24, 2024
InícioPolíticaElo de Carlos com Abin paralela complica a situação de Jair Bolsonaro

Elo de Carlos com Abin paralela complica a situação de Jair Bolsonaro

Publicado em

A operação da Polícia Federal contra suposto uso ilegal de sistemas de espionagem da Agência Brasileira de Inteligência, deflagrada na última quinta (25) e continuada nesta segunda (29), pode provar o poder do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) no governo no pai, Jair Bolsonaro.

E complicar a situação do ex-presidente.

Durante o governo passado, Carlos tinha trânsito liberado no Palácio do Planalto, em Brasília – mesmo sendo vereador da cidade do Rio.

Segundo apurou a CPI da Covid, Carlos atuava também como chefe do chamado “gabinete do ódio”, que alimentava aliados do então presidente com notícias falsas sobre desafetos do pai e sobre a pandemia.

De acordo com aliados de Bolsonaro, “Carluxo” era também um ponto de atrito dentro do governo por conta de seu poder – principalmente, no campo das redes sociais e na busca de informações privilegiadas sobre adversários e desafetos.

O ex-presidente Jair Bolsonaro sempre buscou um sistema de inteligência que pudesse utilizar para questões pessoais. Em uma reunião ministerial cuja gravação foi tornada pública pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em 2020, Bolsonaro diz textualmente que precisava de relatórios desse tipo da Abin e da PF.

Os dois órgãos, no entanto, são instituições de Estado, ou não, não servem a questões pessoais.

Tanto Jair quanto Carlos Bolsonaro sempre negaram qualquer tipo de ação contra inimigos ao longo do governo. Até as 9h30, eles ainda não tinham comentado a operação desta segunda.

Em ocasiões anteriores, Carlos Bolsonaro disse que nunca teve qualquer atuação no chamado “gabinete do ódio”, apesar de a estrutura ser operada por seus ex-assessores lotados no Palácio do Planalto.

Com a nova operação, interlocutores de Bolsonaro temem que a PF consiga documentos comprovando esses pedidos à Abin de informações pessoais, e ilegais, sobre desafetos do ex-presidente.

Esse material, se existir, reforçaria outros inquéritos que já tramitam contra Bolsonaro no STF e que devem ir a julgamento em breve. E, quem sabe, podem condenar Bolsonaro na esfera criminal.

Até aqui, Bolsonaro já foi condenado pela Justiça desde que deixou o cargo, mas apenas em processos eleitorais. Por conta dessas duas ações, o ex-presidente está inelegível até 2030.

O Globo

Copiar

Últimas Notícias

Testemunha diz que servidores da prefeitura “levaram” as peças mais valiosas dos 10 tratores agrícolas abandonados na Sobral

A caixa satélite da planetária de todos os tratores agrícolas que se encontram abandonados...

PF faz buscas na casa de suspeito por pedofilia, em Rio Branco

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (24/4), a Operação Videochamada, que visa combater a...

A frota fuleira do Bocalom: mais um pneu cai e causa gritaria em ônibus, nesta 4ª

O pneu de um ônibus que faz a linha do Calafate desprendeu do eixo...

Vídeo do deboche em Paris: operação contra jogos de azar apreende bens e bloqueia contas de mais 4 influencer´s do Acre

A influencer acreana Gleyna Natasha Silva debochou, debochou....até que foi acordada pela polícia, na...

Serviço Social do Hospital do Idoso proporciona reencontro de paciente separado da família há 30 anos

Morador de Acrelândia, interior do Acre, Gilberto Lima, de 76 anos, reencontrou a família,...

Você não pode copiar o conteúdo desta página