quarta-feira, abril 24, 2024
InícioDestaque 1Frederico Bispo: calote em eleitores, cagaço da PF com jato particular e...

Frederico Bispo: calote em eleitores, cagaço da PF com jato particular e exoneração do Senado por tráfico de influência

Publicado em

O empresário goiano Frederico Bispo, que aportou ao Acre para atacar a gestão Gladson Cameli (PP) não tem boas referências moral e ética. Se apresenta como empreendedor ligado ao ramos de materiais hospitalares,  mas possui uma ficha corrida degradada por atitudes que levantam suspeitas sobre o que diz. À época, em 2009, o parlamento era sacudido pelo escândalo das passagens aéres,

Aos fatos:

Publicação no Portal Terra denuncia que Bispo, quando assessor da vice-presidência do Senado, fretou um jato particular para ir a Maceió interceder junto à superintendência da Polícia Federal por um empresário da cidade. Frederico Aurélio Bispo, que trabalhava no gabinete do senador Marconi Perillo (PSDB-GO) em Brasília, foi até a capital alagoana para pedir, usando uma possível influência exercida pelo cargo que ocupa, porte de arma para Walmer Almeida da Silva, dono de uma revenda de veículos em Maceió.

Ele acabou exonerado após um mês no cargo por ordem do senador que negou conhecer o motivo da viagem.

À época, o delegado da PF,  José Pinto de Luna abordem Bispo em plena rodovia Al-101 Norte, O então assessor do Congresso Nacional disse que vinha de Brasília, em um jatinho particular, para pedir ao superintendente da Polícia Federal a liberação de um porte de arma para o empresário alagoano Walmer Almeida da Silva.

O tal empresário havia solicitado porte de arma por três vezes. Em todas o documento foi negado.

“Esse cidadão é o mesmo que fica fazendo vôos rasantes em seu HELICOPTERO pelas nossas praias”, comentou um internauta maceioense.

Mais recentemente, três mulheres foram à Delegacia Geral registrar ocorrências denunciando que o candidato a deputado estadual Frederico Bispo, que concorreu na eleição de sete de outubro, pagou com cheques sem fundos os serviços por elas prestados na campanha eleitoral. A notícia foi dada pelo Goiás em Tempo.

O candidato, também em entrevista, assumiu que houve descontrole nas suas contas e que por esse motivo as pessoas que trabalharam pedindo votos ficaram sem receber suas remunerações.  Após a veiculação da informação ,pessoas de Campo Limpo, Ouro Verde e Goianápolis ligaram para informar que também querem receber pelos serviços de campanha prestados ao candidato. Frederico Bispo não disse para onde viajou após o pleito de sete de outubro.

Bispo perdeu as eleições.

Copiar

Últimas Notícias

PF faz buscas na casa de suspeito por pedofilia, em Rio Branco

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (24/4), a Operação Videochamada, que visa combater a...

A frota fuleira do Bocalom: mais um pneu cai e causa gritaria em ônibus, nesta 4ª

O pneu de um ônibus que faz a linha do Calafate desprendeu do eixo...

Vídeo do deboche em Paris: operação contra jogos de azar apreende bens e bloqueia contas de mais 4 influencer´s do Acre

A influencer acreana Gleyna Natasha Silva debochou, debochou....até que foi acordada pela polícia, na...

Serviço Social do Hospital do Idoso proporciona reencontro de paciente separado da família há 30 anos

Morador de Acrelândia, interior do Acre, Gilberto Lima, de 76 anos, reencontrou a família,...

Deputada bolsonarista mandou e hacker executou invasão ao sistema do CNJ, diz PGR

O procurador-geral da República, Paulo Gonet, denunciou a deputada federal Carla Zambeli (PL-SP) e...

Você não pode copiar o conteúdo desta página