quarta-feira, abril 24, 2024
InícioCotidianoConheça Sara, o primeiro robô humanóide do mundo; "Ela não deveria falar...

Conheça Sara, o primeiro robô humanóide do mundo; “Ela não deveria falar de sexo nem política”

Publicado em

Elie Metri, CEO da QSS AI & Robots, empresa com sede em Riade, capital da Arábia Saudita, disse que o primeiro robô humanoide mulher do país não fala sobre sexo ou política porque é saudita. “Sara sabe que é uma menina, tem 25 anos, tem 1,62m e usa roupas sauditas. Ela deveria ser legal, não falar de política, não falar de sexo porque estamos na Arábia Saudita. Não deveria entrar nesses tópicos”, disse o executivo em entrevista ao Business Insider

Sara, que usa uma tradicional abaya, vestido semelhante a um manto, é o primeiro robô humanóide projetado e fabricado na Arábia Saudita e possivelmente no Oriente Médio. Ela é bilíngue, falando árabe e inglês.

Metri explicou que Sara usa o modelo de aprendizagem de idiomas da própria empresa – um programa de IA projetado para reconhecer e gerar texto e fala. “Não dependemos das bibliotecas de ninguém, nem mesmo do ChatGPT”, disse ele ao Insider.

O sistema jurídico da Arábia Saudita baseia-se na lei Sharia, embora tenha havido tentativas de modernizar a sociedade saudita nos últimos anos. Estas incluem regras flexíveis sobre os códigos de vestimenta e sobre as mulheres que dirigem.

No entanto, as mulheres ainda podem ser punidas por ativismo político e as discussões sobre sexo e sexualidade não são bem vistas. Em outubro de 2009, um saudita foi condenado a prisão e mil chicotadas por falar de sexo.

Metri disse que Sara atraiu ampla atenção após suas aparições em várias exposições de tecnologia, destacando efetivamente os avanços da Arábia Saudita em robótica e IA.

ncidente

 

No entanto, um incidente no início deste mês envolvendo outro robô humanóide da empresa, Muhammad, viralizou e levantou discussões sobre comportamentos inadequados pelos bots.

Em um vídeo, o robô pareceu estender a mão para tocar as costas de uma repórter da Al Arabiya. Ela pode ser vista respondendo com um olhar severo e uma palma levantada.

No X, usuários das redes sociais acusaram o robô de tocar indevidamente no repórter.

Metri disse que, pessoalmente, não parecia que Muhammad tivesse tocado a repórter de forma inadequada. “Enquanto os humanos falam, movemos as mãos, não somos manequins. É o mesmo para um robô”, disse ele.

Metri disse que, em sua opinião, o robô moveu levemente a mão e os dedos enquanto falava e, como a repórter estava muito perto de Muhammad, tocou levemente sua jaqueta. “A agressão sexual é totalmente diferente de uma mão robótica tocando a jaqueta de uma senhora”, acrescentou o executivo.

Apesar do frenesi que se seguiu nas redes sociais, Metri disse que não está preocupado com o incidente. “O estranho é que em todo o Médio Oriente, mesmo na Arábia Saudita, ninguém viu isto como algo mau porque sabiam que se tratava de um robô”, disse ele.

Por Época Negócios

Copiar

Últimas Notícias

Vídeo do deboche em Paris: operação contra jogos de azar apreende bens e bloqueia contas de mais 4 influencer´s do Acre

A influencer acreana Gleyna Natasha Silva debochou, debochou....até que foi acordada pela polícia, na...

Serviço Social do Hospital do Idoso proporciona reencontro de paciente separado da família há 30 anos

Morador de Acrelândia, interior do Acre, Gilberto Lima, de 76 anos, reencontrou a família,...

Deputada bolsonarista mandou e hacker executou invasão ao sistema do CNJ, diz PGR

O procurador-geral da República, Paulo Gonet, denunciou a deputada federal Carla Zambeli (PL-SP) e...

Candidato a pai aos 60 anos, senador Márcio Bittar brinda reencontro com filho psicólogo após 3 décadas

Impossível negar a semelhança entre Pedro Márcio Almeida Bittar e o pai, o senador...

Moraes dá cinco dias para o X explicar lives de contas bloqueadas pela Justiça

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o X (antigo...

Você não pode copiar o conteúdo desta página