quarta-feira, abril 24, 2024
InícioDESTAQUESem rota de fuga e espremido nas calçadas, palco para Bolsonaro não...

Sem rota de fuga e espremido nas calçadas, palco para Bolsonaro não tem laudo dos Bombeiros

Publicado em

Um especialista consultado pelo ativista Francisco Panthio nesta manhã disse que o palco montado no centro de Rio Branco para o ato político com o ex-presidente Jair Bolsonaro “está completamente irregular”.

A reportagem também conversou com ele, que aceitou esclarecer as exigências da legislação (veja abaixo) em eventos de grande aglomeração. Imagens obtidas há pouco mostram o palco “encaixotado” nas duas laterais da rua que passa em frente á prefeitura, sem corredor de acesso alternativo em caso de emergência. Não houve cuidado para reservar, ainda, espaço a ambulâncias.

A assessoria técnica do prefeito Tião Bocalom (ele será filiado ao PL, em ficha abonada pelo ex-presidente, logo mais) corre contra o tempo para obter laudo do Corpo de Bombeiros.

O diretor de Atividades Técnicas do CB, capitão Eurico, não foi localizado para informar quais providências estão – ou serão – tomadas. Os contatos 3224-1148 e 3224 6476 não atendem.

Joabe Lira, pré-candidato a vereador e chefe da Zeladoria do município, deu ordem para destacar pessoal que faz a limpeza das ruas. O objetivo é deixar a área central de Rio Branco “impecável”, a fim de impressionar o ex-presidente e os seus apoiadores.

“Um evento desse não pode acontecer sem um projeto adequado, a estrutura do palco pode não suportar o peso das pessoas, equipamentos e iluminação, podendo levar ao desabamento por falhas na fundação: A falta de estudos geotécnicos e uma fundação adequada pode resultar em afundamentos, instabilidades e até mesmo rachaduras no solo”, afirmou o especialista que pediu anonimato.

Obrigações legais para atos com grande aglomeração de pessoas:

Riscos Elétricos: Instalações elétricas improvisadas ou inadequadas podem causar curtos-circuitos, choques elétricos e incêndios.

Inadequação de Rotas de Fuga: Em caso de emergência, como um incêndio ou tumulto, a falta de rotas de fuga adequadas pode dificultar a evacuação segura do local.

Perigo de Queda: Ausência de corrimãos, guarda-corpos e superfícies antiderrapantes pode aumentar o risco de quedas, especialmente em áreas elevadas.

Material Inadequado: A utilização de materiais de baixa qualidade ou inadequados para a estrutura pode comprometer a segurança do palco.

Risco Acústico: Sem um projeto acústico adequado, o som pode se dispersar de forma descontrolada, causando desconforto para o público e para os moradores próximos.

Desrespeito às Normas de Segurança: A falta de conhecimento ou desconsideração às normas técnicas e de segurança pode resultar em uma série de problemas, desde a instalação elétrica até o posicionamento de equipamentos e estruturas.

Responsabilidade Legal: A construção e uso de estruturas sem autorização podem resultar em processos legais, multas e responsabilização criminal para os organizadores e responsáveis.

Risco de Contaminação Ambiental: Descartes inadequados de resíduos, materiais tóxicos ou poluentes podem causar contaminação do solo, água e ar”, finalizou nosso informante.

Copiar

Últimas Notícias

Testemunha diz que servidores da prefeitura “levaram” as peças mais valiosas dos 10 tratores agrícolas abandonados na Sobral

A caixa satélite da planetária de todos os tratores agrícolas que se encontram abandonados...

PF faz buscas na casa de suspeito por pedofilia, em Rio Branco

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (24/4), a Operação Videochamada, que visa combater a...

A frota fuleira do Bocalom: mais um pneu cai e causa gritaria em ônibus, nesta 4ª

O pneu de um ônibus que faz a linha do Calafate desprendeu do eixo...

Vídeo do deboche em Paris: operação contra jogos de azar apreende bens e bloqueia contas de mais 4 influencer´s do Acre

A influencer acreana Gleyna Natasha Silva debochou, debochou....até que foi acordada pela polícia, na...

Serviço Social do Hospital do Idoso proporciona reencontro de paciente separado da família há 30 anos

Morador de Acrelândia, interior do Acre, Gilberto Lima, de 76 anos, reencontrou a família,...

Você não pode copiar o conteúdo desta página