quarta-feira, abril 24, 2024
InícioCotidianoCigarro eletrônico: maioria dos profissionais de saúde é contra liberar vape, aponta...

Cigarro eletrônico: maioria dos profissionais de saúde é contra liberar vape, aponta consulta da Anvisa

Publicado em

Na consulta pública realizada pela Anvisa sobre os cigarros eletrônicos (também chamados de vapes), a maioria dos profissionais de saúde disse ser contra a sua liberação no Brasil.

A consulta é parte do processo de revisão da norma vigente que, desde 2009, proíbe os dispositivos, apesar de serem bastante comuns no país. Iniciada em dezembro, essa etapa terminou em fevereiro, e os dados foram divulgados na última semana.

A revisão está em andamento desde 2022 e ainda não tem prazo para ser concluída. Embora não fosse obrigatório, a agência resolveu rever os impactos da regra para considerar estudos mais recentes sobre os cigarros eletrônicos.

➡️ No total, foram 13,9 mil participações na consulta pública, entre pessoas, empresas e entidades. A participação não impedia mais de uma contribuição pelo mesmo usuário. Os principais destaques foram:

  • 8.197 (quase 59%) disseram ser a favor de mudar a regra atual, incluindo a liberação geral.
  • 5.215 (37%) disseram concordar com a norma vigente, que proíbe os vapes.
  • Outros 516 participantes não responderam às perguntas.
  • Dos 13,9 mil participantes, 1.158 eram profissionais de saúde, sendo que 745 (cerca de 65%) foram a favor de manter a proibição e 413, contra.
  • A consulta ainda questionou se os impactos com a regra atual eram positivo, negativos ou os dois. Ao todo, 57% avaliaram que a regra vigente no Brasil tem apenas impactos negativos.

❗A discussão acontece em meio à pressão da indústria do tabagismo a favor da liberação. Enquanto a consulta estava aberta, o setor iniciou a campanha, com posts pagos em redes sociais, “Eu quero escolher”, que estimulava a participação na consulta afirmando que o cigarro eletrônico era uma “alternativa potencialmente menos tóxica que o cigarro”.

🚬 O argumento principal dos defensores é que, ao contrário do cigarro comum, que contém tabaco e libera monóxido de carbono (que é cancerígeno), o vape é por vaporização e, por isso, menos prejudicial.

🚬 Só que a realidade é diferente, de acordo com especialistas. O cigarro eletrônico tem mais de duas mil substâncias, várias delas tóxicas e cancerígenas. (Leia mais abaixo o que dizem os dois lados no debate.)

Para a presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia, Margareth Dalcolmo, a expectativa é a de que a norma da Anvisa seja mantida.

Não estamos surpresos com o resultado da consulta pública, mas isso não interfere no debate científico que se tem sobre o tema. Cada vez mais, os estudos mostram que não há benefício na troca do vape pelo cigarro comum e que ele é tão prejudicial à saúde quanto. Nossa expectativa é a de que a regra seja mantida pela Anvisa.
— Margareth Dalcolmo, presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia

Em nota, a Associação Brasileira da Indústria do Fumo (Abifumo) disse que o apontamento das 8 mil pessoas que participaram da consulta pública dizendo ter outra opinião do que a proibição dos vapes demonstra “que a sociedade brasileira questiona a efetividade da norma atual”. Disse ainda que a proibição atual não funciona, tendo em vista que os produtos estão circulando.

Copiar

Últimas Notícias

Testemunha diz que servidores da prefeitura “levaram” as peças mais valiosas dos 10 tratores agrícolas abandonados na Sobral

A caixa satélite da planetária de todos os tratores agrícolas que se encontram abandonados...

PF faz buscas na casa de suspeito por pedofilia, em Rio Branco

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (24/4), a Operação Videochamada, que visa combater a...

A frota fuleira do Bocalom: mais um pneu cai e causa gritaria em ônibus, nesta 4ª

O pneu de um ônibus que faz a linha do Calafate desprendeu do eixo...

Vídeo do deboche em Paris: operação contra jogos de azar apreende bens e bloqueia contas de mais 4 influencer´s do Acre

A influencer acreana Gleyna Natasha Silva debochou, debochou....até que foi acordada pela polícia, na...

Serviço Social do Hospital do Idoso proporciona reencontro de paciente separado da família há 30 anos

Morador de Acrelândia, interior do Acre, Gilberto Lima, de 76 anos, reencontrou a família,...

Você não pode copiar o conteúdo desta página