quarta-feira, abril 24, 2024
InícioDestaque 1Pesquisa: com apoio de 53% dos evangélicos, porte de maconha deveria deixar...

Pesquisa: com apoio de 53% dos evangélicos, porte de maconha deveria deixar de ser crime no Brasil

Publicado em

A descriminalização do porte de maconha para uso pessoal, em discussão no STF (Supremo Tribunal Federal), divide a opinião dos eleitores brasileiros. Pesquisa PoderData realizada de 23 a 25 de março mostra que metade (50%) dos brasileiros diz ser “a favor” de o porte da erva para uso pessoal deixar de ser crime. Outros 45% se dizem ser contrários à medida, enquanto 5% preferiram não responder.  A pergunta foi feita pela última vez em setembro de 2023 e, entre os que se identificaram como evangélicos, 53% aprovam a descriminalização (quadro acima).

À época, a taxa daqueles que se diziam favoráveis à descriminalização era próxima da registrada agora: 53%. No entanto, o percentual dos que se declaram contrários à medida saltou de 27% para 45% –uma alta de 18 pontos percentuais

A descriminalização do porte de drogas para uso pessoal começou a ser julgada pelo STF em 2015. A Corte foi provocada a analisar o artigo 28 da Lei de Drogas, que trata do tema. As penas previstas são brandas: advertência sobre os efeitos, serviços comunitários e medida educativa de comparecimento a programa ou curso sobre uso de drogas. A ação retornou à pauta do Supremo em maio de 2023 por decisão da então presidente da Corte e a agora ministra aposentada Rosa Weber. Antes de deixar o STF, em outubro, ela votou a favor da descriminalização.  O placar do julgamento está em 5 a 3 pela descriminalização. Além de Weber, também votaram a favor os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Gilmar Mendes e Roberto Barroso. Foram contra Cristiano Zanin, André Mendonça e Nunes Marques.

Atualmente, o julgamento está parado por pedido de vista (mais tempo para análise) do ministro Dias Toffoli, que tem 90 dias para devolver o caso para o plenário.  Uma das razões para o aumento da rejeição da sociedade ao tema pode ser a alta polarização política representada pelos grupos quem apoiam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Nos últimos meses, os bolsonaristas acionaram seus canais nas redes sociais para torpedear o STF por causa do julgamento relacionado a maconha.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, empresa do grupo Poder360 Jornalismo, com recursos próprios. Os dados foram coletados de 23. 25 de março de 2024, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 202 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O intervalo de confiança é de 95%

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, são mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Poder Data

Copiar

Últimas Notícias

Vídeo do deboche em Paris: operação contra jogos de azar apreende bens e bloqueia contas de mais 4 influencer´s do Acre

A influencer acreana Gleyna Natasha Silva debochou, debochou....até que foi acordada pela polícia, na...

Serviço Social do Hospital do Idoso proporciona reencontro de paciente separado da família há 30 anos

Morador de Acrelândia, interior do Acre, Gilberto Lima, de 76 anos, reencontrou a família,...

Deputada bolsonarista mandou e hacker executou invasão ao sistema do CNJ, diz PGR

O procurador-geral da República, Paulo Gonet, denunciou a deputada federal Carla Zambeli (PL-SP) e...

Candidato a pai aos 60 anos, senador Márcio Bittar brinda reencontro com filho psicólogo após 3 décadas

Impossível negar a semelhança entre Pedro Márcio Almeida Bittar e o pai, o senador...

Moraes dá cinco dias para o X explicar lives de contas bloqueadas pela Justiça

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o X (antigo...

Você não pode copiar o conteúdo desta página