sábado, junho 22, 2024

Top 5 desta semana

Notícias relacionadas

Veja o vídeo: categoria se revolta com “abordagem truculenta” a policial penal em Rio Branco; Iapen pede providências

Câmeras de segurança mostram o polícia penal Francisco de Assis da Costa sendo abordado com suposta truculência quando caminhava por uma via pública, em Rio Branco. O agente de segurança portava a arma acautelada do estado.

A direção do Iapen, valendo-se das imagens, encaminhou um pedido para que o comandante-geral da Polícia Militar apure o que entende ser uma abordagem desproporcional. Foi no último dia 9.

O vídeo (abaixo) mostra um militar tomando a arma antes de submeter o rapaz a uma revista violenta. Nem a inscrição IAPEN cravada na pistola convenceu os PM´s.

“Foi (o policial penal) colocado de forma truculenta em frente a um muro e teve as sua mãos erguidas para passar por revista pessoal, sendo posteriormente conduzido para dentro do camburão da viatura, onde passou por diversos constrangimentos”, diz o ofício assinado pelo presidente do Iapen, Alexandre Nascimento de Souza.

“Diante da gravidade dos acontecimentos, reitero a importância de que essa apuração seja conduzida com a máxima celeridade e diligência. Estamos diante de um assunto de extrema relevância que exige uma resposta rápida e eficaz”, concluiu.

A reportagem apurou que Francisco de Assis fazia sua caminhada matinal, e teria deixado sua identificação funcional em casa. Ele disse aos policiais que aquela era a rua onde ele mora, e se prontificou a ir buscar os documentos. Apesar de argumentar que era um agente de segurança, a guarnição optou por levá-lo à delegacia. Lá, ele foi liberado após familiares comprovarem que estava falando a verdade.

O policial penal tem a solidariedade de toda a categoria, e informou que vai entrar com uma ação judicial pedindo reparações morais contra o Estado do Acre.

Em grupos restritos com membros do Iapen, há uma insatisfação generalizada contra a ação policial.

Você não pode copiar o conteúdo desta página